“Maior mérito foi não crescer demais”

Para Liz Calder, criadora da Flip, aumento do público não tira da festa caráter de celebração íntima da literatura

Editora recorda grandes momentos do evento e comenta nomes que nunca conseguiu trazer, como Carlos Fuentes

ANDRÉ BARCINSKI
CRÍTICO DA FOLHA

O sucesso da Flip parece surpreender a todos, menos à inglesa Liz Calder, uma das fundadoras da festa. Calder não é do tipo que se surpreende à toa. Foi ela, afinal, quem revelou uma então desconhecida autora inglesa chamada J.K. Rowling. Hoje, Rowling vendeu 400 milhões de livros da série “Harry Potter”, e a Flip faz dez anos.

“Acho que o maior mérito da Flip foi nunca ter crescido demais”, diz Calder.

“O nome já diz, a Flip é uma ‘festa’, uma celebração da literatura. O que tem se tornado grande é o público. Mas são sempre 19 eventos na programação principal da Flip, e não 200 ou 300, como em outros festivais. Isso permite que seja mais íntima. Gosto muito do fato de não termos eventos simultâneos.”

Calder revela que já convidou a própria J.K. Rowling, que não pôde aceitar. “Pensando bem, acho que teria sido difícil gerenciar isso”, diz. “Talvez tenha sido um alívio ela não ter aceitado”, completa, antes de cair na risada.

Questionada sobre os momentos mais marcantes dos dez anos da Flip, Calder lembra as leituras de poesias de Ferreira Gullar e Adélia Prado, de Enrique Vila-Matas lendo Fernando Pessoa, o debate com David Grossman, em 2005, e os encontros de Nadine Gordimer e Amós Oz, em 2007, e de Paul Auster com Chico Buarque, em 2004.

“Havia pessoas tentando escalar a tenda para ver Chico de perto, foi caótico”, diz.

Na programação deste ano, Liz Calder diz que está ansiosa pelo debate de Jackie Kay. “O público vai se surpreender muito com Jackie Kay. Já tive a oportunidade de ver um debate com ela, e ela é muito engraçada. Jonathan Franzen está num grande momento e certamente será muito bom vê-lo. Gosto muito também dos livros de Jennifer Egan e Javier Cercas.”

Entre os autores que sempre sonhou trazer a Paraty, mas ainda não conseguiu, Calder destaca Philip Roth, Gunter Grass, Alice Munro, Doris Lessing e Umberto Eco.

E lamenta o fato de Carlos Fuentes ter cancelado três vezes. “Ele era um palestrante maravilhoso, teria sido eletrizante”, diz Calder. “Mas agora ele morreu e tem a melhor desculpa para não vir.”

About jeansobrinho

JJ Sobrinho, was born in Paraná Umuarama. He currently works as a Business Consultant in the area of Information Technology. He graduated in Business Administration and holds a MBA in Computer Science. He has worked as Executive Director MyOffer Brazil Ltda Consultant and Manager of Information Technology at the Institute ISULPAR-Coastal Paraná Curitiba PR Education: Faculty Dr. José Correia Leocádio Bachelor of Business Administration University of Paraná Tuiuti Bachelor of Computer Science

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s